Análise de Tendências com a ARUP sobre o futuro das fachadas pós COVID-19

Análise de Tendências com a ARUP sobre o futuro das fachadas pós COVID-19

Com o COVID-19, entrámos numa época de rápidas mudanças. É mais do que nunca importante compreender que tendências irão moldar a indústria da construção nos próximos anos. Juntamente com a ARUP, estudámos como a pandemia poderá afetar o sector das fachadas e o desenvolvimento de novos produtos e serviços. A ARUP é uma empresa independente de designers, projetistas, engenheiros, arquitetos, consultores e especialistas técnicos, trabalhando transversalmente em todo o ‘ecossistema’ da indústria da construção. O processo envolveu uma série de workshops com especialistas da Arup das áreas da envolvente transparente: materiais, sustentabilidade, estrutura, acústica e serviços, bem como cerca de 30 entrevistas a especialistas chave da indústria ao longo de toda a cadeia de valor.

Tendência das fachadas depois do COVID-19: Ventilação

Com as pessoas a passar entre 60 a 90% do seu tempo dentro dos edifícios, a ventilação e o arrefecimento desempenham um importante papel na salvaguarda da saúde e bem-estar. A pandemia apenas intensificou esta tendência. Tendo em conta a crescente necessidade de ventilação, os dispositivos de ventilação integrados em edifícios que respondem aos requisitos de eficiência energética e acústica têm um potencial de mercado considerável na economia pós-corona. A Reynaers Aluminium já abriu caminho com alguns produtos recentemente desenvolvidos, como a nossa janela SoftTone redutora de som ou os nossos elementos de abertura para soluções de fachadas. Pode ler mais sobre as sobre ventilação natural no artigo da Arup (download).

Análise de Tendências com a ARUP sobre o futuro das fachadas pós COVID-19

A ventilação já era um tema popular na construção antes da crise do COVID-19. A pandemia apenas aumentou esta tendência e estimulou arquitetos e engenheiros para procurar maneiras melhores e alternativas para criar um ambiente saudável em espaços residenciais, escritórios e espaços públicos. A introdução de elementos de abertura de fachadas dá a todos os intervenientes na indústria da construção os meios para atingir esses objetivos.

Análise de Tendências com a ARUP sobre o futuro das fachadas pós COVID-19

Ao expandir a gama de elementos de abertura em sistemas de fachadas, podemos oferecer uma solução para a ventilação natural em quase todas as situações. A melhoria dos desempenhos térmicos, entre outros, cria consistência das possibilidades em todos os sistemas e das suas variantes e reforça o nosso portfólio de fachadas. Os fatores de conceção deste lançamento de produto são a estética, o desempenho e a fiabilidade. Descubra mais sobre os nossos tipos de abertura de fachada no nosso website.

Janela Masterline SoftTone Reynaers Aluminium

A Reynaers Aluminium lançou uma nova variante da gama de janelas MasterLine desenvolvida, em primeira instância, como uma solução redutora de ruído, permitindo aos arquitetos apaziguar os aspirantes a proprietários na área urbana quanto à possibilidade de abrir uma janela e criar uma nova experiência de vida interior. SoftTone® é o resultado de uma parceria entre a Arup - que desenvolveu a tecnologia ‘S.A.F.E’ (elemento de fachada atenuante de som) - e a Reynaers Aluminium. O resultado é uma solução arquitetónica sustentável para o arrefecimento e ventilação naturais em ambientes urbanos. Elementos com abertura paralela permitem uma ventilação e arrefecimento máximos enquanto os componentes SoftTone®, no interior da janela, filtram o ruído exterior. Isto resulta numa experiência de trabalho e vida fresca, saudável e relaxante, mesmo no coração de uma cidade vibrante. Descubra mais sobre o MasterLine SofTone aqui.

Tendência para fachadas depois do COVID-19: Arrefecimento

As necessidades de arrefecimento dos edifícios triplicaram entre 1990 e 2018. Uma significante porção do consumo de energia é utilizada para arrefecer os edifícios de escritórios. Soluções passivas e bioclimáticas não só reduzem cargas de arrefecimento, mas também a necessidade de sistemas mecânicos e contribuem para a robustez da tecnologia dos edifícios. O arrefecimento noturno utiliza inércia térmica da estrutura primária, tais como tetos e paredes, como amortecedor para absorver calor durante o dia. À noite, o calor é dissipado através do fluxo de ar controlado pelas aberturas de ventilação.

É de esperar que a onda de renovações iniciada pelo Green Deal ofereça novas oportunidades de crescimento para o arrefecimento noturno. Ao reduzir as áreas das secções transversais de ventilação, estamos a permitir o aumento da altura das propriedades existentes. Pode ler mais sobre o potencial de arrefecimento noturno no artigo da Arup. Download.