Four Seasons Hotel

O Hotel Four Seasons de 273 quartos projetado pelo gabinete de arquitetura SOM, no Bahrein, é uma nova âncora visual na cidade e pouco vulgar na sua composição com o cais em betão e volumes suspensos. Abre um novo mundo de luxo e é uma história de sonhos e fortunas em mudança.

 

A empresa de arquitetura Skidmore, Owings & Merrill (SOM) vê o recém-concluído Four Seasons Hotel na capital de Manama, no Bahrein, como uma série de oportunidades. "Não é muito frequente conceber um plano geral e de seguida construi-lo. Também não há muitos projetos de hotéis independentes", diz o arquiteto do projeto, Thomas Behr. "Estamos a construir uma relação com a cidade e esperamos que este projeto seja parte de um legado que leve a outros projetos idênticos." SOM projetou o seu primeiro projeto no Bahrein, o cativante United Gulf Bank, há quase trinta anos e Behr menciona que os esquemas iniciais ainda são referenciados como alguns dos mais bonitos da cidade. As apostas eram particularmente altas para o Four Seasons Hotel - projetar um hotel icônico à beira-mar num terreno proeminente de 432.000m2, conhecido por Bahrain Bay, que ainda não existia.

“É um conceito muito forte no horizonte do Bahrein porque é simples ”

Uma nova âncora visual na cidade e pouco vulgar na sua composição com o cais em betão e volumes suspensos

Impressionante e intimista

O projeto, encomendado pela Signature Hotels Management Company S.P.C., iniciou em 2004 com um plano geral para a terra recuperada do continente. O Four Seasons Hotel de 68 andares está no coração deste plano, alinhado com um canal de água para o mar numa ilha privada de doze acres acessível por ponte ou barco. Behr explica: "O conceito do edifício foi concebido pela necessidade de torná-lo impressionante numa escala urbana, mas ao mesmo tempo íntimo para os hóspedes sentirem como se estivessem num resort." "É um conceito muito forte no horizonte do Bahrein porque é simples. As paredes revestidas em betão muito dominantes. Fazem uma declaração, uma espécie de porta de entrada para a cidade", diz Behr. "Pelo exterior consegue fazer a leitura do edifício. O restaurante 'skypod' está no volume suspenso em cima, os quartos de hóspedes no meio e o átrio na parte inferior."

 

O átrio e o jardim na base da torre transmite um ar de resort

 

Um ar de resort

As ambições urbanas são reunidas para transmitir um ar de resort na base da torre - através de paisagismo, massificação e os materiais. As texturas e a modelagem nas paredes de betão, bem como o pódio revestido em pedra calcária, criam um acabamento natural, impedindo que seja ‘fraco e monolítico'. A entrada foi concebida para ser mais íntima através da colocação de um teto porte-cochere em alumínio com acabamento em bronze, vindo do exterior continuando para o interior até o átrio. O impacto da torre de 200m de altura é suavizado por espaços destinados para as instalações de spa e conferências em cada lado, bem como um jardim mediterrânico com oliveiras e flores silvestres. Os produtos da Reynaers foram selecionados pelo empreiteiro de fachadas, Jungbluth Alu Partners, porque "a empresa mantém uma boa relação com a Reynaers há muito tempo e o serviço é muito pro-ativo", diz o engenheiro responsável Roland Jungbluth, acrescentado a mais-valia de conseguir uma aparência impressionante e conforto individual. Cada quarto tem janelas do chão-ao-teto com vista para as baías e os painéis de alumínio fazem uma ligação visual dos volumes díspares em todo o edifício. De acordo com Behr, o Hotel Four Seasons foi um projeto muito importante a ser construído: "Com todas as dificuldades que o Bahrein passou por causa da crise global, muitos projetos foram cancelados. Este é o primeiro grande projeto desde então, um novo arranque numa nova onda de desenvolvimento."

 

 

Thomas Behr nasceu em Aachen, Alemanha, em 1969. Formou-se na Universidade de Tecnologia de Aachen com um Bacharel em Arquitetura. Agora é diretor no gabinete Nova-iorquino da SOM. Juntou-se à empresa em 2000 e desde então já trabalhou em diversos projetos internacionais. Após trabalhar predominantemente em projetos europeus nos seus primeiros anos, Behr mudou o seu foco para o Médio-oriente, onde supervisiona e coordena todos os esforços da SOM. Atualmente é gestor das instalações para Atividades Esportivas e Atléticas da Universidade de Kuwait, na cidade de Thakher em Meca, e a Cidade Médica Sheikh Khalifa em Abu Dhabi. Behr diz: "Acredito que os arquitetos têm uma responsabilidade social, ambiental e económica, entender essas responsabilidades permite-me desvendar o verdadeiro valor dum projeto".

 

Roland Jungbluth (Jungbluth Alu Partners)

 

Roland Jungbluth nasceu em 1953 em Raeren, na Bélgica. Tem mais de trinta anos de experiência no negócio, trabalhando como diretor administrativo há quase vinte anos num dos principais fabricantes de fachadas de alumínio da Bélgica Pomel Alu. Em 2002 fundou a empresa Jungbluth Alu Partners sa (JAP) junto com o diretor técnico e agora o sócio André Muller. A JAP é uma empresa especialista em fachadas que fornece soluções técnicas para a envolvente externa de edifícios nos domínios de arquitetura, engenharia, gestão do trabalho e construção. É conhecida por seus métodos económicos e flexíveis, incluindo a montagem de fábricas no local para cada projeto. A empresa completou projetos em todo o mundo, incluindo a Torre Aspire de 300 metros de altura em Doha, o Centro Nacional de Convenções do Qatar e a Ferrari World em Abu Dhabi, tudo em parceria com a Reynaers.

 

Typical element CW 86-EF bespoke solution

Project solution

Systems: Bespoke solution based on CW 86-EF and CW 50-SC, CP 96, CS 77-FP

 

Project description: 

  • 15.000 m² of façade
  • 13.000 m² of CW 86-EF
  • 2.000 m² of CW 50-SC, windows and doors
  • Development of bespoke façade solutions based on the architect’s aesthetic requirements
  • Piers: CW 86 unitised façade
  • VERTICAL face caps:

 

  • - Flat caps beside the concrete cladding

- Intermediate caps: Very large face cap (400 mm D x 50 mm W) in two parts. Composition: profile + adjusted glazing bead + clamping profile + base profile face cap & second part face cap screwed together.

  • HORIZONTAL face caps:

- 1st part cap: 25 mm D x 100 mm W

- 2nd part cap: 75 mm D x 50 mm W

- Same glazing bead with smaller clamping profile fixed on one part of the frame

  • Guest rooms: CW 86 unitised façade
  • Structural glazed façade with additional double row ‘finishing cap’ every 3 floors
  • Glass glued on small profile screwed on bearing structure
  • Finishing cap: 400 mm D x 100 mm W
  • Podium (building base): CW 50-SC
  • Steel reinforced CW 50 Slim Line
  • Mullions in two parts mounted on steel core
  • Combined with different standard transoms

Elements: 

  • Piers: 1675 mm W x 3800 mm H (typical element)
  • Guest rooms: 1750 mm W x 3800 mm H
  • Skypod (top level floors): 2000 mm W x 5425 mm H

 Glazing: 

  • 8/16/10 (vision glass)
  • 8/9/10 (panel glass)
Horizontal section CW 86-EF bespoke solution
Vertical section CW 86-EF bespoke solution
Instalador: 
Jungbluth Alu Partners S.A.
Localização: 
Manama, Barém View on map
Fotógrafo: 
Waleed Alabbas
Outros parceiros: 
Besix Group NV (General contractors) Werner Sobek (Engineering office)
Sistemas Reynaers utilizados: 
Project solutions: 
CW 86-EF bespoke solution CW 50-SC bespoke solution