Puerto Venecia

Puerto Venecia

L35 Architects

O Centro Comercial Puerto Venecia, localizado na periferia sul de Zaragoza, é uma combinação única de formas elegantes e modernas com uma morfologia de aspeto idílico. Os numerosos volumes de construção que compõem o complexo apresentam variações em altura, nos materiais da fachada e nas formas: ora inclinadas, ora direitas, ora redondas.

A lagoa com uma paisagem pitoresca serve de referência a Veneza

No entanto, esta diversidade não é dissonante, pois a arquitetura global que inclui a escolha de materiais e paleta de cores cuidadosamente selecionadas cria um sentido de unidade. O gabinete de arquitetura L35, liderada por José Ignacio Galán e José Luis Martínez, criou assim um ambiente visual coerente e sereno, em que cada loja individual neste centro comercial é colocada num espaço próprio.

A referência a Veneza reflete-se no coração do complexo. Aqui encontramos uma lagoa com uma paisagem pitoresca marginada por uma franja de caniços. A zona envolvente é cercada por um passeio onde os visitantes podem entrar pelas diferentes partes do complexo. Já que o ênfase na percepção global é explicitamente focada no exterior, o desafio é, por isso, tornar o interior do centro tão luminoso e aberto quanto possível. O conceito de ‘estrada interior’ é uma estrutura geralmente aceite para centros comerciais, mas em muitos casos estes espaços passam por corredores de grandes dimensões, em vez de estradas. Aqui o que determina se um desenho é bem ou mal conseguido é a conceção cuidadosa das clarabóias e aberturas de fachada que permitem a entrada de luz.

Clarabóias esculturais

Projetar um espaço que estará exposto ao sol de um país como Espanha tem os seus prós e contras. Por um lado, controlar a luz solar incidente é importante para evitar os contrastes de luz excessiva. Por outro, a luz setentrional e a luz indireta tornam-se essenciais. Em Puerto Venecia tal foi conseguido através de poços de luz esculturais e superfícies de fachada em vidro ondulado no lado norte. Para estes elementos, a escolha dos caixilhos para janelas e portas foi claramente importante, de modo a garantir a sensação de abertura do interior. Por esta razão, os perfis CW 50 da Reynaers foram utilizados nas grandes superfícies de diferentes fachadas, tal como no impressionante telhado ondulado da principal galeria, situada na ala norte do complexo. Esta estrutura arquitetónica, visualmente proeminente, necessitou naturalmente de uma solução que veio minimizar a perturbação estética da superfície do vidro subjacente, onde as colunas de apoio coincidem com as armações e onde as janelas de abertura automática  se encontram. Os perfis estreitos do sistema CW 50 e as dimensões grandes da janela, em conjunto, criam a ilusão que o telhado flutua acima das nuvens, numa vista do interior para o exterior. Do lado de fora, o edifício define o horizonte de Puerto Venecia e alcança uma escala que o faz pertencer à paisagem. As linhas elegantes das molduras desvanecem-se completamente no reflexo do céu, em parte pela fachada ser ligeiramente inclinada. Estes aspectos reforçam a qualidade escultural da fachada.

Uma série de clarabóias quadradas são integrados num telhado plano

Pontos de luz

Na ala sudeste do complexo existe um bloco com outra via interior, cuja necessidade de luz natural serviu novamente de argumento para o design do interior. Aqui optou-se por uma série de clarabóias quadradas, que foram integradas num telhado plano. São pintadas de vermelho-laranja do lado de fora e branco por dentro, de forma a maximizar a reflexão da luz solar. Para os dias com menos sol e também para as noites, o desenho inclui dezenas de luzes elétricas pequenas, para que esses elementos também possam funcionar como lâmpadas gigantes. No topo destas clarabóias, os perfis CW 50 da Reynaers foram novamente utilizados, promovendo a sensação de contacto ininterrupto com o exterior, embora nesta parte do complexo o objetivo seja incidir sobre a abundância de luz do dia e não tanto sobre as vistas panorâmicas.

Estas vistas e o contacto com o espaço central exterior, a lagoa, são temas recorrentemente encontrados em outras partes do edifício, com caixilhos Reynaers integradas nas superfícies das janelas, num alinhamento impecável. Aqui, o seu aspeto de cor anodizado natural (RAL 9006) reforça o caráter moderno do complexo. Além disso, contribuem  para a coesão do conceito geral por trás deste grandioso centro comercial, sempre claro aos olhos do visitante, apesar da sua aparência fragmentada e das diversas expressões arquitetónicas que o compõem.

Fachada: secções A e B
A: Inclined vertical section transom
B: Horizontal section motorized top hung window
Instalador: 
Acieroid SA
Arquiteto: 
L35 Architects
Localização: 
Espanha View on map
Fotógrafo: 
Marçal Font
Outros parceiros: 
Eurofund Investments Zaragoza SL (General contractors)
Project solutions: 
Moorea