Apartments de Boel Amsterdam

Apartments de Boel Amsterdam

Hans van Heeswijk Architecten

De Boel, um edifício residencial de dez andares em De Boelelaan, em Zuida, a zona financeira de Amesterdão, foi radicalmente renovado. Em respeito às qualidades originais do edifício, Hans van Heeswijk Architecten transformou o antigo bloco de apartamentos de 1964 num edifício aberto e transparente que conquistou o orgulho de todos os seus residentes e utilizadores de escritórios.

Em 2014, o promotor Vesteda adquriu um edifício residencial e comercial existente em Boelelaan, no sul de Amesterdão. O objectivo era arrendar os 154 apartamentos a jovens influentes (25 a 35 anos, da classe média) e transformar o primeiro andar em escritórios contemporâneos, onde a própria Vesteda agora está sediada. O edifício de 1964 era uma construção tradicional. Com 160 metros de comprimento e 9 andares, é atualmente um edifício icónico na fronteira entre a dinâmica Zuidas e a tranquila área residencial de Buitenveldert. Ao lado, há um edifício de apartamentos quase idêntico, remodelado tempos antes, que os moradores De Boel habitaram durante a reconstrução. Atualmente, olhando os dois lado a lado, parece que o vizinho De Boel, ainda precisa ser remodelado tal é a aparência contemporânea De Boel.

 

Transparência

Dick de Gunst, arquiteto do atelier Hans van Heeswijk, explica a transformação: "Renovamos De Boel pelo mesmo orçamento que o edifício vizinho, mas a aparência é completamente diferente. A grande diferença está na transparência. Por exemplo, usando balaustradas de aço expandidas, tornamos as varandas e as galerias muito mais transparentes. O posicionamento inclinado faz com que as galerias pareçam mais largas e as varandas maiores. "O piso térreo e o primeiro andar também passaram por uma metamorfose. De Gunst explica como: "As portas de vidro dão amplitude ao piso térreo, anteriormente muito fechado. Uma grande parte dessa área, agora, serve de estacionamento para BMW’s elétricos, de cores vivas, partilhados pelos moradores e colaboradores da Vesteda. Durante o dia, os colaboradores por norma utilizam os carros, à noite e nos fins de semana, são os moradores que mais os utilizam.

Muita luz

De longe, a maior mais valia são as fachadas de vidro do primeiro andar, tanto na lateral do De Boel quanto na fachada tardoz que ampliam a vista do espaço. Para obter um resultado atrativo e elegante, o arquiteto optou pelo sistema de paredes-cortina CW 50 da Reynaers Aluminium. De Gunst refere: "Este sistema é um produto refinado com os perfis estreitos, para uma visão máxima. O piso do escritório é uma verdadeira montra, exatamente o que queríamos. Além disso, a fachada possui um bom isolamento térmico e acústico "..

Design de Interiores

O piso dos escritórios tem agora vista para as torres de escritórios dos Zuidas, por um lado, e para os jardins da área residencial de Buitenveldert, por outro. O promotor Vesteda estabeleceu a sua nova sede aqui e arrendou os restantes escritórios. A arquiteta Stephanie Haumann, da Hans van Heeswijk architects, explica o seu método de trabalho neste projeto: "Após a demolição do edifício existente, o potencial do espaço tornou-se claramente visível, com uma longa linha de visão de 160 metros. A construção robusta de cimento com cor alaranjada era tão bonita que deixamos à vista. O alto pé direito dá uma sensação de loft que reforçamos o máximo possível no design de interiores.”

Nas quatro entradas dos escritórios, foram feitos espaços, rodeados por áreas de reunião e relaxamento em toda a profundidade do edifício, como receção, lounge para visitantes, coffee shop, ginásio e restaurante. Tão importante para o bom ambiente de trabalho são excelentes performances acústicas, garante Haumann: "Para não tornar a sala muito difícil, tanto do ponto de vista emocional como acústico, instalamos vários revestimentos. Materiais naturais, como madeira, corda, couro e tecido trazem a suavidade que permite sentirmo-nos em casa. As cores quentes do sol, areia e terra apoiam esta ideia.

Os apartamentos

Além das novas balaustradas, o arquiteto também projetou novos painéis de entrada com o número da casa, iluminação e campainhas integrados.

Os 154 apartamentos tornaram-se mais confortáveis com novas cozinhas e instalações sanitárias. Dez apartamentos no topo do 9º andar foram ampliados em altura para incluir coberturas. No 10º andar, têm uma fachada de vidro de seis metros de largura com vista para a zona financeira e um espaçoso terraço privativo no lado mais soalheiro. Entre as coberturas, um extenso jardim comum foi concebido como um local de encontro para residentes e funcionários.

Jardim na Cobertura

O jardim comum (750 m²) oferece vistas espetaculares. Os arquitetos também projetaram cuidadosamente este espaço como se evidencia nos detalhes: balaustradas de vidro com perfis de aço inoxidável, os tubos de ventilação brilhantes foram totalmente enquadrados, mobiliário e revestimentos na mesma qualidade de madeira. As instalações subjacentes foram integradas com elementos em forma de cubo de metal que também incluem iluminação e tomadas de alimentação. As plantas sobreviveram ao verão seco e quente de 2018, graças a este telhado que pode armazenar mais de 50.000 litros de água usada na irrigação das plantas. No caso de chuvas fortes, a cobertura reduzirá a pressão no sistema de esgoto da área financeira de Zuidas.

Instalador: 
Keers Mijdrecht Geveltechniek
Arquiteto: 
Hans van Heeswijk Architecten
Localização: 
Amsterdam, nos Países Baixos
Fotógrafo: 
Jan Willem Schouten
Sistemas Reynaers utilizados: