Philips Light Tower Lofts

Philips Light Tower Lofts

O arquiteto Paul Diederen leva-o numa visita virtual através do projeto, para que possa conhecer a solução por medida, como se estivesse lá.  Para uma experiência ideal, assista ao vídeo utilizando um dispositivo de realidade virtual ou utilize a aplicação do Youtube no seu tablet ou smartphone.  (https://youtu.be/uCN0Y3R1aVA)

Luzes que brilham na linha do horizonte de Eindhoven.

A antiga sede da Philips Lighting é um edifício característico da sua geração. Assumidamente funcional era talvez a melhor forma de descrever este edifício gigante em betão. Quando Diederendirrix foi convidado a transformar o edifício, pretendia-se transformar o complexo em lofts premium.  Ao anodizar os perfis em dourado, o espaço tornou-se um ponto de foco do distrito de Emmasingel. "Uma declaração entre os vários edifícios de betão", de acordo com Paul Diederen. Além disso, as grandes janelas oferecem aos moradores uma sensação de luxo e uma perspetiva espetacular sobre a cidade e seus arredores.

Valor acrescentado

Em 2015, o edifício foi reduzido ao seu núcleo central e transformado em 2016 num complexo de apartamentos com 616 lofts e penthouses. "Havia uma grande necessidade de habitação flexível e acessível para os colaboradores de várias empresas de Eindhoven e arredores, explica Lee Foolen da imobiliária Foolen & Reijs Vastgoed. "Na generalidade, têm um alto nível de educação e formação, valorizam a qualidade e abraçam um estilo de vida urbano. Com a estética luxuosa e a qualidade dos acabamentos, somos capazes de oferecer-lhes exatamente isso.'

 

janelas de 3.5 por 4 metros oferecem vistas priveligiadas para a cidade

Há apenas um par de anos atrás, o complexo Philips no coração de Eindhoven era um lugar a ser evitado durante a noite. "Os edifícios cinzentos e o parque de estacionamento desolado com cercas altas tornavam o local muito sombrio. Não havia muita margem para dúvida: tinha mesmo de se optar por uma injeção de vida e de brilho, refere Paul Diederen do atelier Diederendirrix. "Além disso, precisávamos de tornar os espaços habitacionais mais pequenos. Há uma grande demanda por pequenas unidades de habitação no coração da cidade e o complexo oferecia esta possibilidade de transformação.”

“'Havia uma grande necessidade de habitação flexível e acessível para os colaboradores de várias empresas de Eindhoven e arredores.'”Lee Foolen

Imediatamente após concluir a formação em arquitetura, Lee Foolen começou a desenvolver projetos de forma independente. Os primeiros anos foram dedicados à reconversão de propriedades residenciais em alojamento para estudantes e apartamentos. Já em 2004, realizou sua primeira reconversão de escritórios. Em 2012, aconteceu o primeiro grande projeto de transformação: a reabilitação de um bloco de escritórios de 13.000 m2 em habitação. Enquanto desenvolvedor independente de projetos de risco (operando sob os nomes de Foolen & Reijs Vastgoed e City Pads), a empresa transformou mais de 100.000 m2 de escritórios até hoje e tem 250.000 m2 em desenvolvimento, com cerca de 4.000 propriedades residenciais em Eindhoven, Roterdão, Amesterdão e Utrecht.

Envolvente

Toda a área envolvente está implicada na reconstrução. Não é apenas a antiga sede que está a ser alvo deste ‘facelift’, uma nova dinâmica está a ser injetada em todo o distrito de Emmasingel.  Ao lado de Mathildelaan, um complexo de apartamentos de poucos pisos, está a ser construído um novo bloco de torres. Enquanto que na parte de trás da Philips Lighting, foi criado um parque. "Qualquer reconversão deve sempre dar à cidade, acrescentar algo". Diederen aprofunda a sua visão: "Ao trazer literalmente o Gender - um pequeno rio que flui sob o local - acima do solo em e reservando espaço na base da Philips Lighting para comércio e serviços, a área tornou-se um local animado aberto a toda a comunidade. Isso traz valor à cidade, mas também contribui para a qualidade de vida dos utilizadores do edifício.

“'Com este brilho dourado o edifício funde-se com a envolvente. As pequenas diferenças de cor naturais no alumínio anodizado, trazem vida à fachada.'”Paul Diederen

As janelas foram anodizadas na cor dourado

À luz do sol, a Philips Lighting faz ainda mais justiça ao seu nome. O ouro luz nas janelas de linhas horizontais, adicionando brilho ao edifício. "Encontrámos uma nuance de cor ocre na matéria da fachada que agora é reforçada pelas janelas e pelos novos painéis de travertino", diz Diederen sobre a escolha da cor. 

Paul Diederen (1959) formou-se na Faculdade de Arquitetura da Universidade de Tecnologia de Eindhoven em 1986. Desde 2005 trabalha com Bert Dirrix sob o nome de diederendirrix architecten. A empresa de arquitetura de Eindhoven renovou, entre outros, a fábrica de Nedinsco em Venlo, transformou Witte Dame em Eindhoven num edifício polivalente e projetou Musa em Roterdão. Além disso, Diederen lecionou nas Academias de Arquitetura de Roterdão, Tilburg e Arnhem e na Universidade de Tecnologia de Eindhoven. Foi conselheiro do Stimuleringsfonds voor Architectuur, é membro da Commissie Welstand en Monumenten Rotterdam, e supervisor de De Erven Vleuterweide Utrecht. Desde 1 de junho de 2016, Diederen é professor de Design Transformacional na unidade de Arquitetura Urbana de Design e Engenharia da Faculdade de Arquitetura da Universidade de Tecnologia de Eindhoven.

Os grandes painéis de vidro e a forma em T do edifício, permite a entrada de imensa luz natural nos apartamentos.

Sensação do loft

Os planos do edifício em forma de T criam longos corredores com apartamentos em ambos os lados. "O edifício é relativamente profundo", explica Diederen. "Para aproveitar ao máximo a luz natural, substituímos as fachadas fechadas por grandes janelas de 3,5 por 4 metros. Isso também garante que os openspaces de alguns apartamentos possam obter luz. Mas é tudo sobre a experiência: o poder do vidro permite experienciar o edifício plenamente. "Esta sensação é reforçada por janelas que se abrem verticalmente. Somente as coberturas têm varandas, os lofts não. Mas para criar alguma sensação de ar livre, a parte central das janelas desliza para a direita e para baixo, sendo que a parte inferior fica a servir de balaustrada. 

As 116 penthouses oferecem grandes varandas enquanto os 500 lofts estão equipados com janelas de correr verticas.

A parte inferior das janelas funciona como guarda-corpos.

Tecnologia da indústria naval

O atelier de arquitetura abordou a Reynaers para fornecer janelas de características especiais. Mark van Rosmalen, consultor de projetos da Reynaers refere: "Os sistemas de janelas de correr verticais dessas dimensões não são comuns na construção residencial. No entanto, tínhamos essa experiência porque fornecemos este tipo de janelas aos navios de cruzeiros que navegam no Rhine, por exemplo. A pedido da construtora e do arquitecto, desenvolvemos ainda mais o sistema CP130-EVS para que este atendesse aos rigorosos requisitos do projecto. As janelas foram montadas horizontalmente e são operadas eletricamente. A combinação da altura do edifício com as dimensões e o peso das janelas determinou a dimensão dos perfis. Têm 76 mm de profundidade e oferecem uma elevada resistência à carga do vento. "Os perfis são robustos e excitantes. Se observar o edifício perpendicularmente, a fachada é lisa, mas olhando a partir de um canto, as janelas trazem profundidade à fachada.

Timeline ambicioso

O especialista em fachadas Wijmoco equipou os sistemas de janelas com um motor especial, incluindo o controle de segurança por acesso biométrico e um sistema de vedação para evitar que a chuva entre quando a janela está entreaberta. "Eles foram testados na Reynaers na Bélgica quanto à resistência ao vento e à estanquidade à água", disse Richard Wijkamp, ​​da Wijmoco Geveltechniek, que geriu todos os desafios técnicos com um timeline apertado. "A fachada teve de ser fechada em apenas quatro meses e equipada com mais de 543 janelas de correr verticais e mais de uma centena de grandes janelas de abertura horizontal. Graças ao rigoroso calendário, a intensa colaboração e coordenação com o construtor Stam + De Koning para entregas semanais, conseguimos concretizar. "Além disso, esta especialista em fachadas também conseguiu acelerar um pouco o processo no local. "As janelas foram montadas na fachada com um elevador de vácuo. Instalávamos imediatamente para que o painel central pudesse descer oferecendo proteção contra a queda e sem recurso a andaimes.

 

O legado da Philips

 

Eindhoven situa-se no sul da Holanda e tornou-se uma cidade importante durante a revolução industrial, conhecida como a Cidade da Luz devido à instalação e crescimento da Philips. Um grande número dos edifícios que fazem agora parte do património industrial holandês, foram construído pela famosa marca de lâmpadas. Devido à sua localização estratégica no centro da cidade, muitos foram agora reutilizados. Witte Dame que data de 1931 agora abriga uma biblioteca e uma Academia de Design.  Já Lichttoren (1921) - onde as lâmpadas costumavam ser testadas - é agora um complexo de apartamentos.

CP 130-EVS typical element
CP 130-EVS section A-B-C-D

1. Frame profile
2. Rail with cover profile
3. Vent profile
4. Rail
5. Motor
6. Cover profile for ventilation
7. Internal reinforcement

CP 130-EVS section E-F-G

1. Frame profile
2. Rail with cover profile
3. Vent profile
4. Rail
5. Motor
6. Cover profile for ventilation
7. Internal reinforcement

Instalador: 
Wijmoco Geveltechniek
Localização: 
Eindhoven, Holanda View on map
Fotógrafo: 
Hennie Raaymakers
Outros parceiros: 
Sistemas Reynaers utilizados: